“Espero que daqui um a ano celebremos esta festa como Santo”

Na Igreja do convento de São Domingos, D. Anacleto presidiu à Eucaristia na memória de São Bartolomeu dos Mártires, encerrando a iniciativa ‘Um Dia no Convento’ que mobilizou o Arciprestado de Viana do Castelo em Jubileu Arciprestal, na Paróquia de Monserrate.

D. Anacleto transmitiu, perante uma igreja repleta, a imensa alegria de poder estar tão perto do Beato Bartolomeu dos Mártires. O Prelado aproveitou o momento para confidenciar que o processe de canonização do Beato estará concluído em breve. “Tenho confiança que será a última vez que celebramos esta festa como Beato porque, ou me engano, ou daqui a um ano será Santo”.

Para esta importante celebração foram convidados os coros do arciprestado de Viana do Castelo que cantaram em conjunto com o Pároco de Cardielos, Padre Tiago Rodrigues, a dirigir.

O Bispo Diocesano não esqueceu, porém, os exemplos do Beato Paulo VI ou S. Teotónio, padroeiro secundário da Diocese. Sobre estes reiterou que, os seus restos mortais estão longe, mas os do “Beato Bartolomeu dos Mártires está aqui muito perto. Podemos estar junto dos restos mortais de um homem que teve um papel essencial na vida das gentes do Alto-Minho e, por conseguinte, na vida desta Diocese que agora celebra quarenta anos de existência””.

“O Evangelho aplica-se a Jesus, mas os discípulos vão animados pelos sentimentos de Jesus”. Nesta ordem de ideias, “a Diocese é um rebanho organizado e o Beato Bartolomeu dos Mártires move-se pela compaixão e encarnou, de modo extraordinário, a compaixão de Cristo”, indo ao encontro das ovelhas sem pastor, tendo sido arcebispo de Braga, na época, responsável pelo território que hoje compreende as Dioceses de Viana do Castelo, Bragança-Miranda e Vila Real.

D. Anacleto recordou ainda o jubileu de três anos que a Diocese de Viana do Castelo vive: este ano dedicado a agradecer, com o jubileu da gratidão nos 40 anos da Diocese de Viana do Castelo, e, no próximo, 2019, a evangelizar.

A terminar, o atual Bispo de Viana enfatizou que “esta celebração tem para mim um sabor particular. A minha intenção é conquistar-vos para o mesmo sabor, vivendo em acção de graças que nos compromete a ser essa graça ao vivo.

Bartolomeu dos Mártires (1514-1590) foi declarado venerável a 23 de março de 1845, pelo Papa Gregório XVI e Beato a 4 de novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II. A Igreja Católica no alto-minho, no território do Distrito de Viana do Castelo, foi criada pelo Beato Papa Paulo VI com a bula publicada a 3 de novembro de 1977.

Neste dia do convento, D. Anacleto administrou a Santa Unção aos enfermos, durante a tarde, no também no convento de S. Domingos, onde participaram os utentes do Centro Social e Cultural da Paróquia de Cardielos.

IMG_20180718_215159 IMG_20180718_213332

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *