Centro Social “desloca-se” para S. Silvestre

O mês de Setembro trouxe no Centro Social de Cardielos muito convívio e animação. Com o cair do pano do Verão realizou-se o pic-nic da instituição em S. Silvestre com todos os membros afectos à instituição a serem convidados. Mais uma vez também se assinalaram datas importantes e o “vício das cartas” foi uma constante.

Setembro começou então com o pé direito. Logo no dia 1, utentes, direção, funcionários rumaram a S. Silvestre para o tão desejado pic-nic de Verão.

A comida foi típica deste tempo grelhados para todos feitos com o máximo empenho pelos membros da direcção. Não sabemos se por serem feitos por quem foram ou se por estarem de bom paladar o que é certo é que esta refeição foi extremamente apreciada e falada nos dias seguintes.

Em S. Silvestre não podia faltar a visita à capela e aos Santos que lá habitam. Orações, cumprir de promessas ou devoção faziam os olhos dos seniores brilhar num dia de calor e de sol. Muitos regressaram a um lugar da sua meninice e não contiveram o contar das histórias de outrora.

Muito conversaram, riram, jogaram e, sobretudo, se divertiram os mais velhos. O regresso só ocorreu mesmo ao final da tarde e foi feito ao som de cantigas e adágios populares. “De onde vens Maria? Venho da festa”, foi um dos escutados lamentos por aquele dia já ter terminado.

Sem tempo para descansar, os utentes foram convidados a tomar parte na gala sénior do festival internacional de folclore do Alto Minho, no Teatro Sá de Miranda.

Este espectáculo dedicado ao público sénior surge no âmbito do Programa Cultura da Idade/Envelhecer com Qualidade, do Gabinete Cidade Saudável, da Câmara Municipal de Viana do Castelo. Este ano participaram no certame os grupos de Espanha, Estónia, Holanda, Kosovo, Polónia e Senegal.

Mais uma vez os seniores adoraram o momento. A gala sénior continua a ser uma das actividades que os marca e pela qual esperam ansiosamente.

Do mundo para a Europa foi comemorado a 22 de Setembro o Dia Europeu sem Carros. Digamos que outrora poucos ou nenhuns havia e agora, não há um minuto que passe sem que se vejam a circular viaturas pelas estradas e caminhos. Numa amena cavaqueira foram partilhados no salão do Centro Social as experiências e particularidades dos transportes de antigamente. Nota-se que o primeiro a ser falado foi mesmo o transporte através dos animais até porque o trabalho no campo assim o exigia.

Já a 25 de Setembro os olhares estiveram postos no milho. A desfolhada foi marcada e feita no Centro Social. Passo a passo foi recordado o processo desde a sementeira do milho até se tornar fruto. Depois da troca de conhecimentos cada um desfolhou algumas espigas que agora se encontram a ornamentar a instituição, sob o tema das colheitas.

A fechar o mês falamos de um vício saudável. As tardes de sueca multiplicam-se no Centro Social. Por isso, a 30, realizou-se mais uma tarde de sueca que pôs frente a frente os utentes, os familiares e os amigos. Partida sucede partida foi difícil terminar a tarde de jogatina. Uns vencedores, outros vencidos, o que é certo é que todos procuraram uma boa leitura do jogo e estar atentos às renúncias para assim obter o melhor desempenho e treinar a mente.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *